sexta-feira, novembro 1

Projeção do Dolar e Análise Fundamentalista

Gostaria de fazer alguns comentários sobre o comportamento do dólar nestes últimos anos através de algumas análises gráficas e apontar possíveis tendencias usando análises fundamentalistas. Análise gráfica é bastante interessante para analisar o momento atual do mercado, mas sou totalmente contra tomar decisões estratégicas sem antes usar análises fundamentalistas, que é parte do que irei abordar aqui tambem. 


Para o desespero de alguns economistas que compraram muitos dólares em 2003, o dólar caiu sistematicamente desde 2003 respeitando um canal de baixa bastante sólido e que foi rompido somente em 2012 (ponto 1 - no gráfico). Após esse rompimento comecei a buscar qual seria o novo canal a ser seguido pelas massas (pois apesar das constantes interferências do banco central, o cambio é flutuante e portanto bastante influenciado pelo medo e ganancia das massas.)

Reparem que após meados de 2012 já foi possível traçar um candidato a canal de alta usando os pontos indicados pelas setas azuis no gráfico. E para a alegria do conservador, este novo canal de alta foi respeitado desde então, veja ponto 2, ponto 3 e ponto 4. Este ponto 4 é o mais recente de todos, nesta ultima queda de setembro e outubro 2013, onde o dólar chegou a atingir valores próximos a 2.20.

Tudo isso é muito interessante, mas onde quero chegar? Bom, se o canal de alta (vermelho) fosse menos inclinado eu diria que a tendencia era que o dólar se mantenha por um longo tempo, pois em geral, índices costumam respeitar canais de alta e baixa (o Canal de Baixa foi respeitado de 2003 a 2012). Mas, o problema é que esse canal ta muito inclinado. Isso corresponde a um aumento anual médio de 15%, ano após ano. Isso é insustentável baseado na economia que estamos hoje e com os juros atuais. 

Levando em consideração que os juros nos estados unidos está praticamente zero, podemos concluir que EM MÉDIA os juros do banco central, a taxa SELIC, deveria estar no mesmo patamar que o aumento do dolar. Vou me aprofundar neste conceito chamado "Paridade de Juros" em um outro post. Mas a conclusão é que se os juros brasileiros estão em torno de 9%, a expectativa do aumento do dolar deveria ser de 9% ao ano, mas o que vemos no gráfico é um canal de 15% ao ano. Em média, isso não se sustenta.

Portanto, esta canal de alta formado e respeitado nos últimos 2 anos pode não se sustentar por muito tempo, baseado na economia atual. Caso a taxa SELIC pule para valores próximos de 15%, então este canal de alta passa a ficar bem sólido. Isso é possível acontecer, se a inflação resolver a atacar de verdade.

Se tudo continuar do jeito que está, inflação em torno de 5% ao ano, juros (SELIC) na faixa dos 9%, então mais cedo ou mais tarde esse canal de alta será rompido. Porem nunca devemos subestimar o poder psicológico das massas: Se o povo achar que esse canal é forte, então assim será, e o valor do dolar continuará dentro do canal. Postarei novamente assim que o canal for rompido.

É importante ressaltar aqui que existem uma infinidade de fatores que influenciam no valor do dólar. Eu aqui só estou analisando o comportamento das massas e a paridade de juros. Eu propositalmente desconsiderei outros fatores para simplificar o cenário.

3 comentários:

Ossami Sakamori disse...

Prezado Tiago,

Obrigado comentário no meu blog. Instado a responder sua pergunta, tenho a dizer o seguinte.

Não sou grafista. A tendência de valorização/desvalorização de uma moeda depende da conjuntura econômica que vivemos. Faz parte do contexto econômico como todo.

O dólar está depreciado em função da política econômica equivocada da equipe da Dilma. O dólar está sendo mantido em atuais patamares com emissão de títulos do Tesouro atrelados à variação cambial.

A balança de pagamentos ou balança de conta corrente está deteriorando rapidamente. Isto, inexoravelmente levará à nova alta de dólar.

Pelo gráfico, creio que vc pode considerar o último recuo até R$ 2,15 como "respiro" ou "acomodação". À partir de R$ 2,15 como novo piso, deve ter alta no próximo período, creio até bater R$ 2,60/R$ 2,70.

Fique atento ao novo ciclo de alta.

Abraço!

Uorrem Bife disse...

Olá Tiago,
Não invisto em dolar e nem pretendo, rs. Penso que as variáveis por trás da cotações desta moeda são inúmeras e o que é pior, é fortemente manipulada pelo governo. Tento fugir de tudo que o governo pode colocar a mão diretamente.
Aplicar análise gráfica em moeda é algo complicado, muita gente faz mas acho muito arriscado. Análise fundamentalista nem se aplica então.
Sei que não contribuí nada para a discussão mas realmente é algo que não faço hoje nos meus investimentos, talvez até deveria fazer, por exemplo aplicar hedge na carteira através da compra de dolar em períodos de cries, algo a se pensar.

Além da Poupança disse...

Boa postagem.
AT, economia e dólar são meu ponto fraco. Não posso contribuir com nada, mas posso aprender.
Abraços e sucesso